Uso de drogas ilícitas na prática do homicídio

Autores

  • Clarysse do Carmo Lima Farmacêutica, Fortaleza, Ceará
  • Renan Pereira de Lima Graduando em Farmácia, Universidade de Fortaleza
  • Arlandia Cristina Lima Nobre Farmacêutica, doutora em farmacologia, Advogada, Professora titular, Curso de farmácia, Universidade de Fortaleza

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v6i3.399

Palavras-chave:

Drogas ilícitas, Homicídio, Esquizofrenia, Crime

Resumo

Introdução: O impacto da violência no desenvolvimento urbano tem merecido destaque. As consequências da exposição à violência mais especificamente aos homicídios e ao uso de drogas incluem alterações fisiológicas, neurológicas e de âmbito interpessoal. Objetivo: Este estudo teve como objetivo verificar a prevalência de exposição à violência comunitária e identificar associações com exposição às drogas ilícitas e envolvimento com o crime. Métodos: Trata-se de um estudo retrospectivo, com uma abordagem observacional e descritiva, a partir da análise de prontuários de condenados pela prática do homicídio, buscando tipificação do crime e informações sobre o uso de drogas ilícitas. Resultados: Dos 40 presos em fase de execução cujos prontuários foram analisados, todos eram do sexo masculino, com predomínio da faixa etária entre 21 a 40 anos (n=30, 75%). No que concerne ao grau de escolaridade 47,5% (n=19) não concluíram o ensino fundamental, 35,0% (n=14) eram analfabetos e 17,5% (n=7) apresentavam o ensino médio completo. Considerando a tipificação do crime observou-se que todos cometeram o homicídio na modalidade qualificada, quanto ao motivo, pela futilidade conforme disposto no artigo 121. Conclusão: Ao consumir algum tipo de droga ilícita o indivíduo, perde o controle emocional tendo diversos sintomas como alucinação, euforia e psicose que poderiam servir de motivação para a prática de delitos com requintes de crueldade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arlandia Cristina Lima Nobre, Farmacêutica, doutora em farmacologia, Advogada, Professora titular, Curso de farmácia, Universidade de Fortaleza

Curso de Farmácia, Universidade de Fortaleza

Referências

-Antunes G. Crack, mídia e periferia: uma representação social das “classes perigosas”. Revista de Sociologia, 01 dez 2010, 1- 24.

- Barata BB, Ribeiro MCSA. Desigualdades Sócias e homicídios da cidade de São Paulo 1998. Revista Brasileira de Epidemiologia, 2008, 11 (1):3-13. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2008000100001. [Acesso em 7.agosto.2017]

- Benetti SPC, GAMA C, Vitolo M, Silva, MB, D´Avila A, Zavaschi ML. Violência comunitária, exposição às drogas ilícitas e envolvimento com a lei na adolescência. Revista Brasileira de Psicologia. 2006 jun./dez; 37 (3): 279-286.

- Bitencourt CR. Tratado de Direito Penal, Parte Especial: dos crimes contra a pessoa. 6ª ed. São Paulo: Saraiva; 2007.

- Cerqueira D, Lima RS, Bueno LI, Hanashiro O, Machado PHG, Lima AS. [Atlas]. Atlas da violência 2017. Rio de Janerio: Ipea; 2017.

- Chaves FSR. Utilização do geoprocessamento no mapeamento criminal na região metropolitana de João Pessoa-PB. [Monografia]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2014.

- Dayrrel, M. Drogas e vulnerabilidade à morte por homicídios: pesquisa em uma área urbana. [Dissertação]. Belo Horizonte: Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública, Universidade Federal de Minas Geral; 2011.

- Evangelista de Jesus D. Código penal Brasileiro. São Paulo: Saraiva; 1991.

- Ferigolo M. Dietilamida de Ácido Lisergico. [Monografia]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2008.

- Filho CCB, Assunção RM, Silva BFA, Marinho FC, Reis IA, Almeida MCM. Conglomerado de homicídios e tráficos de drogas, em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil de 1995 a 1999. Caderno de Saúde Pública. Set./Out; 17(5):1163-1171.

- Guimarães CF; Santos DVVD; Freitas RCD. Perfil do usuário de crack e fatores relacionados com a criminalidade em unidade de internação no hospital de psiquiatria de porto alegre (RS). Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul. May. /Aug; 2008; 30 (2): 1-8. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-81082008000300005.

- Laranjeira R, Ayer de Oliveira R, Roberto Cuce Nobre M, Marques Bernardo W, Usuários de substâncias psicoativas, abordagem, diagnóstico e tratamento. 2ª ed. São Paulo: Sollo Comunicação; 2003.

- Laranjeira R, Nicastri S, Pereira de Almeida O, Dractu L. Manual de Psiquiatria. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1996.

- Minayo MCS. Violência e saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2006.

- Ministério da Saúde. Produtos estratégicos para o SUS. Brasília, 2015. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/. [Acesso em 15.jul.2015].

- Ministério da Saúde. Razão entre óbitos informados e estimado. Brasília. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/idb2012/matriz.htm. [ Acesso em 20.jul.2017].

- Noronha EM. Direito penal. São Paulo: Atlas S.A; 1999.

- Oliveira LG, Nappo SA. Crack na cidade de São Paulo: acessibilidade, estratégias de mercado e formas de uso. Archives of Clinical Psychiatry, 2008; 35(6):212-218.

- Oriel M. O crack, efeitos da cocaína e efeitos farmacológicos do THC. Brasil, 2012. Disponível em: http://www.medcenter.com/Medscape/Default.html. [Acesso em 10.jul.2017].

- Pedrozo MFM, Siqueira MEPB. Solventes de cola: abuso e feitos nocivos à saúde. Revista de Saúde Pública. 1989; 23(4):336-340. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101989000400009

- Ribeiro M, Marques ACPR, Laranjeira R, Alves HNPA, Araújo MR, Baltieri DA, et al. Abuso e dependência da maconha. Revista da Associação Médica Brasileira. Sept. /Oct 2005; 51(5):247-249. DOI:http://dx.doi.org/10.1590/s0104-42302005000500008.

- Sanchez ZVDM, Nappo SA. Sequência de drogas consumidas por usuários de crack e fatores interferentes. Revista de Saúde Pública. 2002; 36(4): 420-430. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102002000400007

- Silva MS. Homicídios e práticas da Justiça criminal em uma comarca do interior: Uberaba, MG, século XIX. In: Anais do Simpósio Nacional de História, ANPUH. Julho 2011. p. 1-14.

- Sousa AVB. Contribuição da assistência farmacêutica na atenção primária à saúde no sistema prisional. [Monografia]. Fortaleza: Universidade de Fortaleza; 2011.

- Sousa ER. Masculinidade e violência no Brasil: contribuições para reflexão no campo da saúde. Ciência & Saúde Coletiva. Jan./Mar. 2005; 10 (1): 59-70. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000100012

- Xavier CAC, Lobo PLD, Fonteles MMF, Vaconcelos SMM, Viana GSB, Sousa FCF. Êxtase (MDMA): efeitos farmacológicos e tóxicos. Revista de psiquiatria clínica. 2008; 35 (3): 2-25.

- Zanetti Junior O. Homicídios. Revista de Direito. 2010:1-15.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

29-09-2017

Como Citar

1.
Lima C do C, de Lima RP, Lima Nobre AC. Uso de drogas ilícitas na prática do homicídio. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 29º de setembro de 2017 [citado 30º de novembro de 2022];6(3):118-2. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/399

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)