Uso de drogas ilícitas na prática do homicídio

Autores

  • Clarysse do Carmo Lima Farmacêutica, Fortaleza, Ceará Autor
  • Renan Pereira de Lima Graduando em Farmácia, Universidade de Fortaleza Autor
  • Arlandia Cristina Lima Nobre Farmacêutica, doutora em farmacologia, Advogada, Professora titular, Curso de farmácia, Universidade de Fortaleza Autor

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v6i3.399

Palavras-chave:

Drogas ilícitas, Homicídio, Esquizofrenia, Crime

Resumo

Introdução: O impacto da violência no desenvolvimento urbano tem merecido destaque. As consequências da exposição à violência mais especificamente aos homicídios e ao uso de drogas incluem alterações fisiológicas, neurológicas e de âmbito interpessoal. Objetivo: Este estudo teve como objetivo verificar a prevalência de exposição à violência comunitária e identificar associações com exposição às drogas ilícitas e envolvimento com o crime. Métodos: Trata-se de um estudo retrospectivo, com uma abordagem observacional e descritiva, a partir da análise de prontuários de condenados pela prática do homicídio, buscando tipificação do crime e informações sobre o uso de drogas ilícitas. Resultados: Dos 40 presos em fase de execução cujos prontuários foram analisados, todos eram do sexo masculino, com predomínio da faixa etária entre 21 a 40 anos (n=30, 75%). No que concerne ao grau de escolaridade 47,5% (n=19) não concluíram o ensino fundamental, 35,0% (n=14) eram analfabetos e 17,5% (n=7) apresentavam o ensino médio completo. Considerando a tipificação do crime observou-se que todos cometeram o homicídio na modalidade qualificada, quanto ao motivo, pela futilidade conforme disposto no artigo 121. Conclusão: Ao consumir algum tipo de droga ilícita o indivíduo, perde o controle emocional tendo diversos sintomas como alucinação, euforia e psicose que poderiam servir de motivação para a prática de delitos com requintes de crueldade.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Arlandia Cristina Lima Nobre, Farmacêutica, doutora em farmacologia, Advogada, Professora titular, Curso de farmácia, Universidade de Fortaleza
    Curso de Farmácia, Universidade de Fortaleza

Referências

-Antunes G. Crack, mídia e periferia: uma representação social das “classes perigosas”. Revista de Sociologia, 01 dez 2010, 1- 24.

- Barata BB, Ribeiro MCSA. Desigualdades Sócias e homicídios da cidade de São Paulo 1998. Revista Brasileira de Epidemiologia, 2008, 11 (1):3-13. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2008000100001. [Acesso em 7.agosto.2017]

- Benetti SPC, GAMA C, Vitolo M, Silva, MB, D´Avila A, Zavaschi ML. Violência comunitária, exposição às drogas ilícitas e envolvimento com a lei na adolescência. Revista Brasileira de Psicologia. 2006 jun./dez; 37 (3): 279-286.

- Bitencourt CR. Tratado de Direito Penal, Parte Especial: dos crimes contra a pessoa. 6ª ed. São Paulo: Saraiva; 2007.

- Cerqueira D, Lima RS, Bueno LI, Hanashiro O, Machado PHG, Lima AS. [Atlas]. Atlas da violência 2017. Rio de Janerio: Ipea; 2017.

- Chaves FSR. Utilização do geoprocessamento no mapeamento criminal na região metropolitana de João Pessoa-PB. [Monografia]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2014.

- Dayrrel, M. Drogas e vulnerabilidade à morte por homicídios: pesquisa em uma área urbana. [Dissertação]. Belo Horizonte: Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública, Universidade Federal de Minas Geral; 2011.

- Evangelista de Jesus D. Código penal Brasileiro. São Paulo: Saraiva; 1991.

- Ferigolo M. Dietilamida de Ácido Lisergico. [Monografia]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2008.

- Filho CCB, Assunção RM, Silva BFA, Marinho FC, Reis IA, Almeida MCM. Conglomerado de homicídios e tráficos de drogas, em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil de 1995 a 1999. Caderno de Saúde Pública. Set./Out; 17(5):1163-1171.

- Guimarães CF; Santos DVVD; Freitas RCD. Perfil do usuário de crack e fatores relacionados com a criminalidade em unidade de internação no hospital de psiquiatria de porto alegre (RS). Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul. May. /Aug; 2008; 30 (2): 1-8. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-81082008000300005.

- Laranjeira R, Ayer de Oliveira R, Roberto Cuce Nobre M, Marques Bernardo W, Usuários de substâncias psicoativas, abordagem, diagnóstico e tratamento. 2ª ed. São Paulo: Sollo Comunicação; 2003.

- Laranjeira R, Nicastri S, Pereira de Almeida O, Dractu L. Manual de Psiquiatria. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1996.

- Minayo MCS. Violência e saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2006.

- Ministério da Saúde. Produtos estratégicos para o SUS. Brasília, 2015. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/. [Acesso em 15.jul.2015].

- Ministério da Saúde. Razão entre óbitos informados e estimado. Brasília. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/idb2012/matriz.htm. [ Acesso em 20.jul.2017].

- Noronha EM. Direito penal. São Paulo: Atlas S.A; 1999.

- Oliveira LG, Nappo SA. Crack na cidade de São Paulo: acessibilidade, estratégias de mercado e formas de uso. Archives of Clinical Psychiatry, 2008; 35(6):212-218.

- Oriel M. O crack, efeitos da cocaína e efeitos farmacológicos do THC. Brasil, 2012. Disponível em: http://www.medcenter.com/Medscape/Default.html. [Acesso em 10.jul.2017].

- Pedrozo MFM, Siqueira MEPB. Solventes de cola: abuso e feitos nocivos à saúde. Revista de Saúde Pública. 1989; 23(4):336-340. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101989000400009

- Ribeiro M, Marques ACPR, Laranjeira R, Alves HNPA, Araújo MR, Baltieri DA, et al. Abuso e dependência da maconha. Revista da Associação Médica Brasileira. Sept. /Oct 2005; 51(5):247-249. DOI:http://dx.doi.org/10.1590/s0104-42302005000500008.

- Sanchez ZVDM, Nappo SA. Sequência de drogas consumidas por usuários de crack e fatores interferentes. Revista de Saúde Pública. 2002; 36(4): 420-430. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102002000400007

- Silva MS. Homicídios e práticas da Justiça criminal em uma comarca do interior: Uberaba, MG, século XIX. In: Anais do Simpósio Nacional de História, ANPUH. Julho 2011. p. 1-14.

- Sousa AVB. Contribuição da assistência farmacêutica na atenção primária à saúde no sistema prisional. [Monografia]. Fortaleza: Universidade de Fortaleza; 2011.

- Sousa ER. Masculinidade e violência no Brasil: contribuições para reflexão no campo da saúde. Ciência & Saúde Coletiva. Jan./Mar. 2005; 10 (1): 59-70. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000100012

- Xavier CAC, Lobo PLD, Fonteles MMF, Vaconcelos SMM, Viana GSB, Sousa FCF. Êxtase (MDMA): efeitos farmacológicos e tóxicos. Revista de psiquiatria clínica. 2008; 35 (3): 2-25.

- Zanetti Junior O. Homicídios. Revista de Direito. 2010:1-15.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

29-09-2017

Edição

Seção

ARTIGOS

Como Citar

1.
Uso de drogas ilícitas na prática do homicídio. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 29º de setembro de 2017 [citado 14º de junho de 2024];6(3):118-2. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/399

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)