Decisões judiciais em matéria de saúde: as conexões entre o Direito e a Moral

Autores

  • José Carlos Zebulum Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v6i1.355

Palavras-chave:

Direito à Saúde, Judicialização, Princípios Morais.

Resumo

A partir da transferência, cada vez mais intensa, da atribuição de decidir questões importantes na área da saúde, para o Judiciário, justifica-se o interesse em investigar, identificar e compreender os principais conflitos morais experimentados por magistrados no cotidiano de sua jurisdição de saúde, buscando compreender as razões desses conflitos e o modo pelo qual têm sido deliberadas questões de saúde em face dos entes públicos. Uma vez que nestas situações, os juízes, de uma forma geral, dispõem de certa margem de liberdade na escolha dos padrões - políticas, princípios (jurídicos ou morais) ou regras – que devem utilizar, em alguns casos, para chegar a uma decisão que considerem adequada, avulta-se a questão do chamado poder discricionário do juiz. Mas até onde vai a discricionariedade dos juízes? Será que podem decidir livremente, de acordo com as regras jurídicas, princípios jurídicos, política, ou mesmo de acordo com suas convicções morais, a seu único e exclusivo talante? Este estudo busca trazer respostas para estas questões a partir da teoria de Ronald Dworkin, no contexto de suas divergências com Herbert L. A. Hart e Richard Posner, mais especificamente no que diz respeito às conexões entre a moral e o direito. Ao final, desenvolvemos uma técnica a fim de identificar conflitos morais experimentados pelos magistrados que aplicamos em casos concretos de demandas de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Carlos Zebulum, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Bacharel em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Mestre em Direito Civil Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Doutorando em saúde coletiva pelo Instituto de Estudos de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Juiz Federal no Estado do Rio de Janeiro.

Referências

Dworkin, R. A Virtude Soberana. A teoria e a prática da igualdade. São Paulo: Martins Fontes Editora, 2005.

Brasil. Supremo Tribunal Federal. Agravo Regimental na Suspensão de Tutela Antecipada n.º 175/CE, Tribunal Pleno, Rel. Min. Gilmar Mendes (Presidente), j.17/03/2010, DJe 30/04/2010, p. 070.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, 05 de outubro de 1988. [Acesso em 29 dez 2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm.

Brasil. Lei n.º 8.080 de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, 19 de setembro de 1990. [Acesso em 29 dez 2016]. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8080.htm.

Brasil. Lei n.º 8.142 de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS} e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Brasília, 28 de dezembro de 1990. [Acesso em 29 dez 2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8142.htm.

Freitag, B. A questão da moralidade: da razão prática de Kant à ética discursiva de Habermas. Tempo Social – Rev. Sociologia da USP. 1989; 1(2):1-32.

Dworkin, R. Levando os direitos a sério. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes Editora, 2010.

Atienza, M. Curso de argumentación jurídica. Madrid: Editorial Trotta, 2013.

Caldeira, APC. O direito à saúde e sua “curiosa” efetividade em Terrae Brasilis: do desafio da realização da boa governança à excessiva judicialização [Tese]. São Leopoldo: Programa de Pós-Graduação em Direito,Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, 2013. [Acesso em 10 jan 2017]. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=135330.

Streck, LL. Verdade e consenso: constituição, hermenêutica e teorias discursivas. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2006.

Hart, HLA. O conceito de direito. Lisboa: Gulbenkian; 1994.

Dworkin, R. A justiça de toga. São Paulo: Martins Fontes Editora, 2010.

Machado, TRC. A necessidade de justificação ética e fática dos argumentos trazidos ao debate sobre judicialização da saúde no Brasil [Tese]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, 2015. . [Acesso em 10 jan 2017]. Disponível em: http://www.arca.fiocruz.br/xmlui/handle/icict/12981.

Mendes, G F. Curso de direito constitucional. 4. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2009.

Barcellos, AP. A Eficácia jurídica dos princípios constitucionais: o princípio da dignidade da pessoa humana. Rio de Janeiro: Renovar, 2002.

Sarmento, D. A ponderação de interesses na Constituição Federal. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2002.

Madalena, LHB. A discricionariedade (administrativa) à luz da crítica hermenêutica do direito. [Dissertação]. São Leopoldo: Programa de Pós-Graduação em Direito,Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, 2014. [Acesso em 10 jan 2017]. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1395584.

Dworkin, R. Justice for hedgehogs. Cambridge, Massachusetts, London: The Belknap Harvard University Press, 2011.

Motta, FJB. Ronald Dworkin e a construção de uma teoria hermeneuticamente adequada da decisão jurídica democrática. [Tese] (doutorado). São Leopoldo: Programa de Pós-Graduação em Direito,Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, 2014. [Acesso em 10 jan 2017]. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1395708.

Dworkin, R . Judicial discretion. J Philos, 60(21):624-38, 1963.

Dworkin, R . Hard cases. Harvard Law Rev. 1975; 88(6):1057-109.

Posner, RA. The problematic of moral and legal theory. 3. ed. Harvard University Press, 2009.

Hart, HLA. O conceito de direito. São Paulo: Martins Fontes Editora, 2009.

Dworkin, R . Uma questão de princípio. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes Editora, 2005.

Alexy, R. Teoria da Argumentação Jurídica. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2011.

Atienza, M. Razões do direito: teorias da argumentação jurídica. 3. ed. São Paulo: Landy, 2003.

Downloads

Publicado

30-03-2017

Como Citar

1.
Zebulum JC. Decisões judiciais em matéria de saúde: as conexões entre o Direito e a Moral. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 30º de março de 2017 [citado 1º de dezembro de 2022];6(1):9-34. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/355

Edição

Seção

ARTIGOS