Critérios de seleção de patologias para investigação em Saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v10i3.784

Palavras-chave:

Prioridades de Pesquisa, Saúde Global, Indústria Farmacêutica

Resumo

Procuramos identificar os critérios que conduzem à seleção para investigação de determinadas patologias. O objetivo é verificar se tais critérios são adequados às necessidades de investigação em saúde e respondem aos problemas globais de saúde pública. Tentámos confrontar o que diz a informação científica publicada com a nossa experiência na Comissão de Ética para a Investigação Clínica. Na maioria dos repositórios consultados, há poucas referências a prioridades ou seleção de prioridades, reportando-se a aspetos concretos de patologias específicas. O motor de busca EuropePMC identifica perto de 40 mil entradas, sendo o mais significativo que encontrámos. Analisámos alguns dos artigos pela abordagem ética, metodológica para a investigação médica e suas prioridades, nomeadamente, a participação dos pacientes. A interação entre medicamentos antirretrovirais e o consumo de drogas injetáveis e a inclusão de pacientes UDI em ensaios clínicos só foram investigadas pelas companhias farmacêuticas (e pelos próprios investigadores), pelo confronto e pressão dos principais Community Advisory Boards (CAB), nomeadamente o European CAB. A seleção e arbitragem entre patologias para a investigação não parecem despertar muito interesse por parte de investigadores e da Academia. São os financiadores da investigação, entidades, públicas ou privadas, com ou sem fins lucrativos, que selecionam as áreas a investigar. Nas empresas farmacêuticas, é o retorno económico: doenças de países e regiões de baixos recursos ou raras não têm um mercado. Têm sido as organizações multilaterais e fundações de âmbito global, com os seus financiamentos, a definir as prioridades das investigações em áreas de maior impacto global e social.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Silvério Marques, European Community Advisory Board

Licenciado em Gestão; reformado, foi membro da Comissão de Ética para a Investigação Clínica, Lisboa, Portugal, e do European Community Advisory Board. https://orcid.org/0000-0001-6802-615X. E-mail: pmosmarques@gmail.com

Referências

Barbieri JC, Chamas CI. O Acordo sobre Direitos de Propriedade Intelectual Relacionados ao Comércio (TRIPs) e as Políticas Públicas de Saúde e de Defesa da Biodiversidade. Revista Eletrônica de Administração. Enero-abril, 2008;(14)1:25-49.

Irvine L, Burton JK, Ali M, Quinn TJ, Goodman C. Protocol for the development of a repository of individual participant data from randomised controlled trials conducted in adult care homes (the Virtual International Care Homes Trials Archive (VICHTA)). Trials. 2021; 22(157). Disponível em: https://doi.org/10.1186/s13063-021-05107-w

Chadwick RF, Shickle D, Ten Have HA, Wiesing U (Eds.). The Ethics of Genetic Screening. Springer, Dordrecht; 1999. 256 p.

Michael D. Lemonick. The Iceland Experiment. Time Magazine. Sunday, Feb. 12, 2006. Disponível em: http://content.time.com/time/magazine/article/0,9171,1158968,00.html

Powles J, Hodson H. Google DeepMind and healthcare in an age of algorithms. Health Technol (Berl). 2017;7(4):351-367. doi: 10.1007/s12553-017-0179-1. Epub 2017 Mar 16. PMID: 29308344; PMCID: PMC5741783.

Guthrie S, Cochrane G, Deshpande A, Macaluso B, Larivière V. Understanding the contribution of UK public health research to clinical guidelines: a bibliometric analysis. F1000Res. 2019 Jul 15;8:1093. doi: 10.12688/f1000research.18757.1. PMID: 33552472; PMCID: PMC7845157.

Tatham KC, McAuley DF, Borthwick M, Henderson NG, Bashevoy G, Brett SJ. The National Institute for Health Research Critical Care Research Priority Setting Survey 2018. J Intensive Care Soc. 2020 Aug;21(3):198-201. doi: 10.1177/1751143719862244. Epub 2019 Jul 8. PMID: 32782458; PMCID: PMC7401440.

Ballreich JM, Gross CP, Powe NR, Anderson GF. Allocation of National Institutes of Health Funding by Disease Category in 2008 and 2019. JAMA Netw Open. 2021 Jan 4;4(1):e2034890. doi: 10.1001/jamanetworkopen.2020.34890. PMID: 33502486; PMCID: PMC7841468.

Seixas BV, Regier DA, Bryan S, Mitton C. Describing practices of priority setting and resource allocation in publicly funded health care systems of high-income countries. BMC Health Serv Res. 2021 Jan 27;21(1):90. doi: 10.1186/s12913-021-06078-z. PMID: 33499854; PMCID: PMC7839200.

Chamberlain SA, Estabrooks CA, Keefe JM, Hoben M, Berendonk C, Corbett K, Gruneir A. Citizen and stakeholder led priority setting for long-term care research: identifying research priorities within the Translating Research in Elder Care (TREC) Program. Res Involv Engagem. 2020 May 15;6:24. doi: 10.1186/s40900-020-00199-1. PMID: 32467774; PMCID: PMC7229578.

Parker L, Grundy Q, Fabbri A, Mintzes B, Bero L. 'Lines in the sand': an Australian qualitative study of patient group practices to promote independence from pharmaceutical industry funders. BMJ Open. 2021 Feb 9;11(2):e045140. doi: 10.1136/bmjopen-2020-045140. PMID: 33563626; PMCID: PMC7875302.

Crowe S, Fenton M, Hall M, Cowan K, Chalmers I. Patients', clinicians' and the research communities' priorities for treatment research: there is an important mismatch. Res Involv Engagem. 2015 Jun 25;1:2. doi: 10.1186/s40900-015-0003-x. Erratum in: Res Involv Engagem. 2015 Dec 23;1:14. PMID: 29062491; PMCID: PMC5598091.

Ludwig, C, Graham ID, Lavoie J et al. Ethical considerations for engaging frail and seriously ill patients as partners in research: sub-analysis of a systematic review. Res Involv Engagem. 2021;7(8). Disponível em: https://doi.org/10.1186/s40900-021-00254-5

Deane KH, Flaherty H, Daley DJ, Pascoe R, Penhale B, Clarke CE, Sackley C, Storey S. Priority setting partnership to identify the top 10 research priorities for the management of Parkinson's disease. BMJ Open. 2014 Dec 14;4(12):e006434. doi: 10.1136/bmjopen-2014-006434. PMID: 25500772; PMCID: PMC4281559.

Downloads

Publicado

16-09-2021

Como Citar

1.
Silvério Marques P. Critérios de seleção de patologias para investigação em Saúde. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 16º de setembro de 2021 [citado 30º de novembro de 2022];10(3):18-2. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/784

Edição

Seção

ARTIGOS: PERSPECTIVA DE INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO