Análise da capacidade jurídica dos pacientes idosos no Brasil a partir do referencial dos Direitos Humanos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v9i4.680

Palavras-chave:

Paciente idoso, Capacidade jurídica, Capacidade mental, Autonomia, Direitos Humanos

Resumo

Objetivo: o artigo visa discutir a capacidade jurídica dos pacientes idosos a partir do referencial dos Direitos Humanos, de modo a fomentar o debate acerca da inadequação da legislação brasileira para aferir a capacidade decisional e a consequente mitigação da autonomia. Metodologia: estudo teórico-documental baseado na pesquisa de Albuquerque sobre capacidade jurídica e Direitos Humanos e, internacionalmente, na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e na Convenção Interamericana sobre a Proteção dos Direitos Humanos dos Idosos. No campo nacional, abordou-se a regulamentação dos Códigos Civil e de Processo Civil sobre interdição e curatela. Resultados: constatou-se que o método de aferição da capacidade jurídica no Brasil está dissociado do novo paradigma internacional, pois a avaliação ocorre por meio de perícia médica que busca aferir deficiências mentais, e não a habilidade para a tomada de decisões específicas. Conclusão: o paciente idoso pode ser protagonista ativo de sua terapêutica, desde que tenha a sua autonomia promovida mediante a utilização dos suportes adequados de tomada de decisão, que carecem de ser incorporados no país.

Biografia do Autor

Denise Gonçalves de Araújo Melo Paranhos, Justiça Federal – Seção Judiciária de Goiás

Doutora em Bioética, Universidade de Brasília, Cátedra Unesco de Bioética, Brasília, DF, Brasil; membro do Observatório Direitos dos Pacientes, Cátedra Unesco/PPGBioética, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil; analista judiciário Seção Judiciária de Goiás, Justiça Federal, Goiânia, GO, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-4956-2314. E-mail: paranhos.denise@uol.com.br

Referências

Herring J. Older People in Law and Society. Oxford: Oxford University Press; 2009.

Paranhos DGAM. Direitos Humanos dos Pacientes Idosos. Rio de Janeiro: Lumen Juris; 2018.

Brasil. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 [Internet]. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Brasília: Presidência da República; 3 out. 2003 [acesso em 09 out. 2019]. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm

Organização dos Estados Americanos. Convenção Interamericana sobre a Proteção dos Direitos Humanos dos Idosos [Internet]. 15 de junho de 2015 [acesso em 09 out. 2019]. Disponível em: http://fiapam.org/wp-content/uploads/2015/07/OEA-Convenci%C3%B3n-portugu%C3%A9s.pdf

Albuquerque A. Direitos Humanos dos Pacientes. Curitiba: Juruá; 2016.

Ehrhardt MJ. A incapacidade civil e o idoso. In: Mendes GF, Leite GS, Leite GS, Mudrovitsch RB (coords.). Manual dos direitos da pessoa idosa. São Paulo: Saraiva; 2017. p. 208-219.

Silva JM. Idoso: Curatela no Código Civil Brasileiro de 2002. In: Mendes GF, Leite GS, Leite GS, Mudrovitsch RB (coords.). Manual dos direitos da pessoa idosa. São Paulo: Saraiva; 2017. p. 220-237.

Albuquerque A. Capacidade Jurídica e Direitos Humanos. Rio de Janeiro: Lumen Juris; 2018.

Brasil. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009 [Internet]. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007 [acesso em 09 out. 2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm

Brasil. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 [Internet]. Institui o Código Civil. [acesso em 12 out. 2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10406.htm

Brasil. Lei nº 13.105, de 16 de março de 2015 [Internet]. Código de Processo Civil. [acesso em 12 out. 2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm

Araujo LA, Ruzyk CEP. A perícia multidisciplinar no processo de curatela e o aparente conflito entre o Estatuto da Pessoa com Deficiência e o Código de Processo Civil: reflexões metodológicas à luz da Teoria Geral do Direito [Internet]. [s.d.] [acesso em 13 out. 2019]. Disponível em: http://sisbib.emnuvens.com.br/direitosegarantias/article/view/867

Ramos C. A Convenção sobre Direitos das Pessoas com Deficiência comentada. Coordenação de Ana Paula Crosara de Resende e Flavia Maria de Paiva Vital. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos; 2008.

ONU. Convention on the Rights of Persons with Disabilities. Committee on the Right of People with Disabilities. Eleventh session. General Comment No. 1. Article 12: Equal recognition before the law [Internet]. Adopted 11 April 2014 [acesso em 09 out. 2019]. Disponível em: https://www.ohchr.org/en/hrbodies/crpd/pages/gc.aspx

Purser K. Capacity Assessment and the Law. Cham: Springer; 2017.

Morris J. Dignity - supporting toilet access and use in frail older people. “Behind Closed Doors” campaign. British Geriatric Society [Internet]. Date Published: 01/06/2006. Last updated: 10 May 2018 [acesso em 09 out. 2019]. Disponível em: https://www.bgs.org.uk/resources/dignity-supporting-toilet-access-and-use-in-frail-older-people

Paranhos DGAM, Albuquerque A. O modelo de cuidado centrado no paciente sob a perspectiva do paciente idoso. Cad. Ibero-Amer. Dir. Sanit [Internet]. abr./jun 2018;7(2):113-127. doi: https://doi.org/10.17566/ciads.v7i2.485

Paranhos DGAM, Albuquerque A. A autonomia do paciente idoso no contexto dos cuidados em saúde e seu aspecto relacional. Revista Direito Sanitário. mar./jun, 2018;19(1):32-49.

Human Rights Council. Report of the Independent Expert on the Enjoyment of all Human Rights by Older Persons, Rosa Kornfeld-Matte [Internet]. Autonomy and care of older persons. 13 aug. 2015 [acesso em 20 out 2019]. Disponível em: https://www.ohchr.org/EN/HRBodies/HRC/RegularSessions/Session30/Documents/A_HRC_30_43_ENG.docx

Herring J. Vulnerable Adults and the law. Oxford: Oxford University Press; 2016.

Downloads

Publicado

2020-12-16

Como Citar

1.
Paranhos DG de AM. Análise da capacidade jurídica dos pacientes idosos no Brasil a partir do referencial dos Direitos Humanos. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 16º de dezembro de 2020 [citado 5º de março de 2021];9(4):156-70. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/680

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)