A reivindicação do direito à saúde pelas Organizações Não Governamentais do Distrito Federal: garantia de direito social ou assistencialismo?

Autores

  • Regina Aparecida da Cruz

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v6i3.378

Palavras-chave:

Advocacia em Saúde, Organizações Não-Governamentais, Sistema Único de Saúde

Resumo

Objetivo - Este artigo analisa a atuação das ONGs na defesa da saúde no Distrito Federal (DF), a partir de um questionário respondido pelos seus dirigentes nos anos de 2008 e 2009. Metodologia – Foi empregada a técnica da entrevista semiestruturada e análise do discurso do sujeito coletivo (ADS). Resultado: As ONG têm atuado muito mais no assistencialismo primário, funcionando basicamente como prestadores de serviços aos usuários do sistema de saúde no DF do que como associações focadas em reivindicar a melhoria das políticas de saúde no DF em prol da garantia do direito social à saúde. Conclusão: A atuação das ONGs do DF tem sido insuficiente para influenciar politicamente a garantia do direito à saúde e, consequentemente, para atuar de forma condizente ao exercício da cidadania em saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

29-09-2017

Como Citar

1.
Cruz RA da. A reivindicação do direito à saúde pelas Organizações Não Governamentais do Distrito Federal: garantia de direito social ou assistencialismo?. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 29º de setembro de 2017 [citado 30º de novembro de 2022];6(3):30-47. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/378

Edição

Seção

ARTIGOS