Barreiras enfrentadas pelos enfermeiros na ampliação da inserção do dispositivo intrauterino em pacientes no contexto das Unidades Básicas de Saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v12i4.1008

Palavras-chave:

Dispositivos Intrauterinos, Enfermeiros, Atenção Primária à Saúde, Saúde Reprodutiva

Resumo

Objetivo: verificar as barreiras enfrentadas pelos enfermeiros na ampliação da inserção de dispositivo intrauterino (DIU) em pacientes no contexto das Unidades Básicas de Saúde. Metodologia: estudo observacional realizado com 66 enfermeiros da Atenção Primária. O instrumento de coleta foi elaborado por revisão de literatura e validado por especialistas da área da saúde da mulher. A coleta de dados ocorreu de forma remota entre outubro de 2021 e janeiro de 2022. Todas as considerações éticas para pesquisas com seres humanos foram respeitadas. Resultados: observou-se que a maioria não realizou treinamento de inserção de DIU (86,4%), não possuíam experiência de inserção (100%) e nem segurança na técnica (71,2%). Ademais, o DIU não é inserido (83,3%) nas unidades de saúde e, para a inserção, há necessidade de realização de exames (84,8%), como ultrassonografia transvaginal (76,2%), exames de citologia oncótica (92,1%) e teste de gravidez (76,2%). Conclusão: as barreiras observadas neste estudo dificultam o acesso ao DIU na Atenção Primária e afetam os direitos à liberdade, à saúde e ao planejamento reprodutivo. Verificou-se a necessidade da criação de um protocolo assistencial sobre o DIU de cobre e elaboração de uma estratégia de qualificação teórico-prática como forma de ampliação do método e garantia dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres previstos na Constituição Federal.

Submissão: 29/03/2023|Revisão: 05/05/2023|Aprovação: 26/06/2023

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

Referências

Brasil. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil [Internet]. Brasília, DF: Senado Federal; 2016 [citado em 19 mar. 2019]. 496 p. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf

Brasil. Secretaria de Atenção à Saúde. Manual técnico para profissionais de saúde: DIU com cobre T Cu 380A. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2018 [citado em 22 abr. 2022]. Disponível em: https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/wp-content/uploads/2018/12/manual_diu_08_2018.pdf

Brasil Secretaria de Atenção à Saúde. Caderno de Atenção Básica n.26. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2013 [citado em 22 abr. 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf

Godinho A, Florentino DM, Violante FF, Dias H, Coutinho E. O enfermeiro promotor da saúde sexual e reprodutiva na adolescência: o caso do planejamento familiar. Revista da UI_IPSantarém-Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém [Internet]. 2020 [citado em 29 abr. 2022]; 8(1): 358-370. Disponível em: https://revistas.rcaap.pt/uiips/article/view/19906/15130 doi: https://doi.org/10.25746/ruiips.v8.i1.19906

Cook RJ, Dickens BM, Fathalla MF. Saúde reprodutiva e direitos humanos: integrando medicina, ética e direito. Rio de Janeiro (RJ): CEPIA; 2000.

Brasil. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União 21 set 2017. Seção 1: 69.

Conselho Federal de Enfermagem. Resolução COFEN nº 690/2022. Normatiza a atuação do Enfermeiro no Planejamento Familiar e Reprodutivo. Diário oficial da União. 4 fev. 2022; 29(1): 139.

Brasil. Ministério da Saúde. Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher - PNDS 2006. Brasília; 2009 [citado em 22 abr. 2022]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pnds_crianca_mulher.pdf

Michaelis. Dicionário de Língua Portuguesa. Definição de barreiras. 2022 [citado em 22 abr. 2022]. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/barreira

Gonzaga VAS, Borges AL, Santos OAD, Rosa PLFS, Gonçalves RFS. Barreiras organizacionais para disponibilização e inserção do dispositivo intrauterino nos serviços de atenção básica à saúde. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2017 [citado em 19 abr. 2022]; 51:e03270. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1980-220X2016046803270

Brandão ER, Cabral CS. Justiça reprodutiva e gênero: desafios teórico-políticos acirrados pela pandemia de Covid-19 no Brasil. Interface-Comunicação, Saúde, Educação [Internet]. 2021 [citado em 19 abr. 2022]; 25:e200762. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/icse/2021.v25suppl1/e200762/pt/ doi: https://doi.org/10.1590/interface.200762

Reis AP et al. Desigualdades de gênero e raça na pandemia de COVID-19: implicações para o controle no Brasil. Saúde em Debate. 2021 [citado em 19 mar. 2023]; 44:324-340. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/sdeb/2020.v44nspe4/324-340/ doi: https://doi.org/10.1590/0103-11042020E423

United Nations Development Programme. Representantes do Fundo de População da ONU defende a educação e acesso a métodos contraceptivos como forma de prevenção da gravidez na adolescência. United Nations Development Programme [Internet]. 2022. [citado em 06 mar. 2023]; Saúde. Disponível em: https://brazil.unfpa.org/pt-br/news/representante-do-fundo-de-populacao-da-onu-defende-educacao-e-acesso-metodos-contraceptivos#:~:text=Isso%20se%20evidenciou%20durante%20a,no%20dia%2026%20de%20setembro

World Health Organization. Selected practice recommendations for contraceptive use. 3rd ed. Genebra:World Health Organization; 2016. 72p.

World Health Organization. Medical eligibility criteria for contraceptive use. 5 th ed. Genebra: World Health Organization; 2015. 276p.

World Health Organization. Optimizing health worker roles to improve access to key maternal and newborn health interventions through task shifting. Genebra: World Health Organization; 2012. 87p.

World Health Organization; Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health. Family Planning: A Global Handbook for Providers (2018 update). Baltimore (MD) and Geneva: CCP and WHO; 2018.

Brasil. Secretaria de Políticas de Saúde. Assistência em Planejamento Familiar. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 1999 [citado em 22 abr. 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/0102assistencia1.pdf

Conselho Regional de Enfermagem de Alagoas. Protocolo de Consulta ginecológica com ênfase na saúde sexual e reprodutiva na inserção do Dispositivo Intrauterino T de Cobre (DIU TCu 380A). Maceió, 2018.

Vinuto J. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas [Internet]. 2014 [citado em 26 jun. 2023]; 22(44):203-20. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/10977

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466/2012. Dispõe sobre pesquisa envolvendo seres humanos. 2012 [citado em 22 abr. 2022]. Diário oficial da União. 2012; Seção 1, pág. 59. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Lacerda LDRC et al. Inserção de Dispositivo Intrauterino por Enfermeiros da Atenção Primária à Saúde. Enfermagem em Foco [Internet]. 2021 [citado em 28 jan. 2023]; 12(7):1. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/5209 doi: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2021.v12.n7.SUPL.1.5209

Andrade MS et al. Planejamento familiar no Sistema Único de Saúde: uso do dispositivo intrauterino. Investigação, Sociedade e Desenvolvimento [Internet]. 2022 [citado em 28 jan. 2023]; 11(3): e38211326386. Disponível: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26386 doi: https://doi.org/10.33448/rsd-v11i3.26386

Hoggart L, Walker S, Newton VL, et al. Provider-based barriers to provision of intrauterine contraception in general practice. BMJ Sex Reprod Health [Internet]. 2018 [citado em 25 jan. 2023]; 44:82-89. Disponível em: http://dx-doi.ez15.periodicos.capes.gov.br/10.1136/bmjsrh-2017-101805

Somefun O, Constant D, Endler M. Immediate IUD insertion after second trimester abortion: implications for service delivery. BMC Health Serv Res [Internet]. 2021 [citado em 22 abr. 2022]; 21:1304. Disponível em: https://doi-org.ez15.periodicos.capes.gov.br/10.1186/s12913-021-07306-2 doi: https://doi-org.ez15.periodicos.capes.gov.br/10.1186/s12913-021-07306-2

Goodman SR, Avadi AMEI, Rocca CH, Kohn JE, Benedict CE, Dieseldorff JR, Harper CC. The intrauterine device as emergency contraception: how much do young women know? Open Access J Contracept [Internet]. 2018 [citado em 25 jan. 2023]; 98 (2): 115-119. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.contraception.2018.04.009

De Souza EG, Pinheiro ERS, Da Rocha JMS, Sousa MM, Dos Santos EA, Rangel HF. A capacitação de profissionais da APS para inserção do Dispositivo Intrauterino (DIU) de cobre: a experiência do município de Betim, Minas Gerais. APS EM REVISTA [Internet]. 2021 [citado em 25 jan. 2023]; 3(1):32–38. Disponível em: https://www.apsemrevista.org/aps/article/view/144. doi: 10.14295/aps.v3i1.144

Ventura M. Direitos reprodutivos no Brasil. Brasília (DF): Fundo de População das Nações Unidas; 2009. [citado em 02 mai. 2023]. Disponível em: http://www.unfpa.org.br/Arquivos/direitos_reprodutivos3.pdf

Ferreira BBR, Paixão JA. A relação entre o uso da pílula anticoncepcional e o desenvolvimento da trombose venosa profunda no Brasil. Revista Artigos. Com [Internet]. 2021 [citado em 28 jan. 2023]; 29: e7766-e7766. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/artigos/article/view/7766

Piler AA, Wall ML, Aldrighi JD, Benedet DCF, Silva LR, Spzin CC. Protocolo de boas práticas obstétricas para os cuidados de enfermagem no processo de parturição. Revista Mineira de Enfermagem [Internet]. 2019 [citado em 28 jan. 2023]; 23:1-8. Disponível em: https://reme.org.br/artigo/detalhes/1225 doi: http://dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20190102

Rosenfield RM, Shiffman RN, Robertson P. Manual de desenvolvimento de diretrizes de prática clínica: uma abordagem orientada para a qualidade para traduzir evidências em ação. Otorrinolaringologia—Cirurgia de Cabeça e Pescoço. 2013; 148(1) S1-S55.

Barreto DS, Maia DS, Gonçalves RD, Soares R de S. Dispositivo Intrauterino na Atenção Primária a Saúde: uma revisão integrativa. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 30º de maio de 2021 [citado 20 mar. de 2023];16(43):2821. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/2821

Downloads

Publicado

27-03-2024

Edição

Seção

ARTIGOS

Como Citar

1.
Barreiras enfrentadas pelos enfermeiros na ampliação da inserção do dispositivo intrauterino em pacientes no contexto das Unidades Básicas de Saúde. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 27º de março de 2024 [citado 17º de junho de 2024];12(4):136-48. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/1008