Reflexões da pandemia de COVID-19: a tomada de decisão médica na abordagem terapêutica pós-aborto em dois hospitais públicos do Distrito Federal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v12i4.1026

Palavras-chave:

Aborto Espontâneo, Aborto Induzido, Dilatação e Curetagem, Tomada de Decisões, COVID-19

Resumo

Objetivo: identificar possíveis alterações da tomada de decisão médica para esvaziamento uterino pós-aborto de primeiro trimestre no cenário da COVID-19 em dois hospitais públicos do Distrito Federal. Metodologia: abordagem qualitativa, que usou dois procedimentos metodológicos – documental e entrevistas –, cuja coleta de dados ocorreu entre maio e junho de 2022. No hospital A, coletou-se, em 25 registros consecutivos do livro do centro cirúrgico, a técnica de esvaziamento uterino pós-aborto prevalecente em 2020. No hospital B, coletou-se o mesmo dado em 48 prontuários clínicos, 23 de 2019 e 25 de 2020. As entrevistas semiestruturadas foram realizadas com onze profissionais de saúde: três médicos, quatro enfermeiros e quatro técnicos de enfermagem, lotados na obstetrícia/centro cirúrgico de cada hospital. Resultados: ambos os hospitais, no recorte temporal do estudo de 2019 a 2020, dispuseram de insumos para a eleição por quaisquer das técnicas de esvaziamento uterino. No hospital A, em 2020, a tomada de decisão médica foi 100% pela aspiração manual intrauterina. Em 2019, no hospital B, a eleição foi 100% pela dilatação e curetagem; em 2020, período da COVID-19, apesar da dilatação e curetagem manter-se prioritária em 78% dos casos, notabilizou redução em relação a 2019. Evidenciou-se, ainda, no hospital B um maior quantitativo de atendimentos e internações de mulheres em processo de pós-aborto, se comparado com o período anterior à COVID-19. Conclusão: o fator determinante para a tomada de decisão médica em ambos os hospitais é a aptidão técnica do médico para a abordagem eleita.

Submissão: 01/05/23|Revisão: 10/11/23|Aprovação: 15/11/23

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Daiana Maria Santos de Sousa Silva, Universidade de Brasília

    Doutoranda, Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais - Estudos Comparados sobre as Américas, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil; Mestra em Saúde Coletiva, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil; Mestra em Direitos Sociais e Processos Reivindicatórios, Instituto de Educação Superior de Brasília, Brasília, DF, Brasil; Professora e Advogada. https://orcid.org/ /0000-0002-7612-1429. E-mail: daianagcel@gmail.com

Referências

World Health Organization. Coronavirus disease (COVID-19) Pandemic. Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019

Brasil. Lei n° 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. Dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus responsável pelo surto de 2019. [citado em 02 nov. 2023]. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/l13979.htm

Oliveira MTS et al. Factors associated with spontaneous abortion: a systematic review. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil [Internet]. 2020 [citado em 3 maio 2022]; 20(2): p. 361-372. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1806-93042020000200003

World Health Organization. Medical Management of abortion. Geneva: Who, 2022 [citado em 15 maio 2022]. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/278968/9789241550406-eng.pdf

Brasil. Manual de Atenção Técnica para Prevenção, Avaliação e Conduta nos casos de abortamento. 2022 [citado em 01 ago. 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_avaliacao_conduta_abortamento_2ed.pdf

Pereira PP et al. Tratamento do abortamento incompleto por aspiração manual ou curetagem. Revista da Associação Médica Brasileira [Internet]. 2006 [citado em 23 ago. 2022]; 52(5): p. 304-307. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-42302006000500015

Fundação Oswaldo Cruz. Método de Aspiração Manual Intrauterina AMIU: quando e como fazer. Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente. 2018. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/48044/2/AMIU%20quando%20e%20como%20fazer.pdf

Pfitzer A, Lathrop E, Bodenheimer A, RamaRao S, Christofield M, MacDonald P, Arnold B, Bhatnagar N, Mielke E, Mikulich M. Opportunities and Challenges of Delivering Postabortion Care and Postpartum Family Planning During the COVID-19 Pandemic. Glob Health Sci Pract. 2020 Sep 30 [citado em 06 nov. de 2023];8(3):335-343. PMID: 33008851; PMCID: PMC7541126. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7541126/ doi https://doi.org/10.9745/GHSP-D-20-00263

Holanda AAR et al. Tratamento do Abortamento do primeiro trimestre da gestação: Curetagem versus Aspiração Manual a vácuo. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia – RBGO. 2003 [citado em 5 maio 2022]; 25(4). Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbgo/a/wXxB3NjdGxQ4Skj9RgHfR9q/?lang=pt&format=pdf

Dantas PBF, Trabach CB, Junqueira AA, Nunes CC, Veiga-Junior NN, Baccaro LF. The Impact of the Covid-19 pandemic on the care of women Experiencing Abortion in a University Hospital in Brazil. Ver Bras Gineco Obstet [Internet]. 2023 mar. [citado em 15 maio 2022]; 45(3):113-20. Disponível em: https://doi.org/10.1055/s-0042-1759749

World Health Organization. Medical Management of abortion. Geneva: Who; 2022 [citado em 15 maio 2022]. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/278968/9789241550406-eng.pdf

Pilecco FB, McCallum CA, Almeida MCC, Alves FJO, Rocha AS, Ortelan N, Gabrielli L, Menezes GMS. Abortion and the COVID-19 pandemic: insights for Latin America. Cadernos De Saúde Pública [Internet]. 2021[citado em 5 maio 2022]; 37(6):e00322320. https://doi.org/10.1590/0102-311X00322320

Downloads

Publicado

27-03-2024

Edição

Seção

ARTIGOS

Como Citar

1.
Reflexões da pandemia de COVID-19: a tomada de decisão médica na abordagem terapêutica pós-aborto em dois hospitais públicos do Distrito Federal. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 27º de março de 2024 [citado 20º de junho de 2024];12(4):149-60. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/1026