Planos privados individuais de saúde: o consumidor ainda tem poder de escolha?

Autores

  • Gilka Lopes Moreira Antonio Fiocruz

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v7i1.463

Palavras-chave:

Saúde Suplementar, Assistência Médica, Regulação e Fiscalização em Saúde, Direito à saúde

Resumo

Objetivo: Estudou-se o fenômeno da redução da oferta de planos de saúde privados de assistência médica individuais/familiares. Metodologia: Tratou-se de estudo com abordagem quali-quantitativa, descritivo e explicativo, realizado por intermédio de procedimentos de pesquisa documental e bibliográfica. Resultados: Os planos individuais e coletivos têm características diferentes; as regras aplicáveis aos contratos individuais são mais rígidas; o mercado de planos individuais está altamente concentrado; há pouca oferta desse tipo de produto pelas operadoras, sobretudo de abrangência nacional. Conclusão: A redução da oferta de planos individuais/familiares e a comercialização de produtos mais restritos afetam o direito à saúde visto que reduz o poder de escolha do consumidor, as possibilidades de mobilidade, e dificulta a contratação de planos por aqueles que estão fora do mercado de trabalho formal, principalmente os idosos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gilka Lopes Moreira Antonio, Fiocruz

Graduada em Administração pela Universidade Federal de Mato Grosso, Técnica em regulação de saúde suplementar na Agência Nacional de Saúde Suplementar – Distrito Federal. Brasil. E-mail: gilkalopes@gmail.com)

Downloads

Publicado

02-04-2018

Como Citar

1.
Moreira Antonio GL. Planos privados individuais de saúde: o consumidor ainda tem poder de escolha?. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 2º de abril de 2018 [citado 30º de novembro de 2022];7(1):163-82. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/463

Edição

Seção

ARTIGOS