Judicialização da saúde: propostas de racionalização

Autores

  • Celia Cristina Dal Moro Universidade Federal de Minas Gerais
  • Laura Dal Moro Fonseca Faculdade de Direito Milton Campos
  • Raquel Randow Universidade Federal de Minas Gerais http://orcid.org/0000-0002-6086-7939
  • Keli Bahia Felicissimo Zocratto Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v8i1.505

Palavras-chave:

Judicialização da saúde. Decisões judiciais. Racionalização.

Resumo

Objetivo: o levantamento e análise de trabalhos, sobre propostas de racionalização da judicialização da saúde no Brasil. Metodologia: foi feito levantamento bibliográfico na base de dados da Biblioteca Virtual de Saúde, usando descritores compatíveis com a pesquisa. Resultados: foram encontrados 99 trabalhos com a temática proposta, sendo que apenas 28 apresentavam propostas de racionalização da judicialização da saúde. Conclusão: ainda é baixa a produção intelectual brasileira para a racionalização da judicialização da saúde no Brasil.

Biografia do Autor

Celia Cristina Dal Moro, Universidade Federal de Minas Gerais

Gestora de Serviços de Saúde, Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Enfermagem, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Laura Dal Moro Fonseca, Faculdade de Direito Milton Campos

Bacharel em Direito, Faculdade de Direito Milton Campos, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Raquel Randow, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestranda em Demografia, Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Enfermagem, Belo Horizonte, Minas Ge-rais, Brasil.

Keli Bahia Felicissimo Zocratto, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Saúde Pública. Professora adjunta do curso de Gestão de Serviços de Saúde, Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Enfermagem, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Referências

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil, 8 de outubro de 1988. Brasília: Senado Federal, 1988.

Brasil. Ministério da Saúde. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcio-namento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União da República Federativa do Brasil. (20 set. 1990).

Luz RGAM. Judicialização do Orçamento Público: Repercussões da Ingerência do Ju-diciário nas Contas Públicas e no Planejamento da Gestão Estatal em Decisões Referen-tes à Saúde. Publicações da Escola da AGU. 2013, out.; 2(30): 189-212.

Oliveira MRM, Delduque MC, Sousa MF, Mendonça AVM. Judicialização da saúde: pa-ra onde caminham as produções científicas? Saúde em Debate. 2015, abr./jun.; 39(105): 525-535.

Santos IS. A solução para o SUS não é um Brazilcare. Revista Eletrônica de Comunica-ção. Informação e Inovação em Saúde. 2016, set.; 10(3).

Vieira FS. Ações judiciais e direito à saúde: reflexão sobre a observância aos princípios do SUS. Revista de Saúde Pública. 2008, abr.; 42(2): 365-369.

Baptista TWF, Machado CV, Lima LD. Responsabilidade do Estado e direito à saúde no Brasil: um balanço da atuação dos Poderes. Ciência & Saúde Coletiva. 2009, mai./jun.; 14(3): 829-839.

Lima FRS. Racionalidade dos direitos sociais sob a óptica da constituição como aco-plamento estrutural entre os sistemas jurídico e político. Revista da Faculdade de Direito da UFG. 2010, jan./jun.;34(1): 88-97.

Machado FRS, Dain S. A Audiência Pública da Saúde: questões para a judicialização e para a gestão de saúde no Brasil. Revista de Administração Pública. 2012, jul./ago.; 46(4): 1017-1036.

Cunha Filho MC. Qual é a justiça da justiça brasileira? Uma análise das decisões do supremo tribunal federal em matéria de direito à saúde à luz das teorias políticas de R. No-zick, J. Rawls e R. Dworkin. Revista Direito e Práxis. 2013, abr./nov.; 4(7): 172-195.

Sartori Junior A, Leivas PGC, Souza MV, Krug BC, Balbinotto G, Schwartz IVD. Judici-alização do acesso ao tratamento de doenças genéticas raras: a doença de Fabry no Rio Grande do Sul. Ciência & Saúde Coletiva. 2012, out.; 17(10): 2717-2728.

Ventura M, Simas L, Pepe VLE. Judicialização da saúde, acesso à justiça e a efetivi-dade do direito à saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva. 2010, 20(1): 77-100.

Asensi F. Responsabilidade Solidária dos Entes da Federação e” Efeitos Colaterais” no Direito à Saúde. Revista de Direito Sanitário. 2016 nov. 2015 /fev. 2016, 16(3): 145-156.

Dallari SG, Maggio MP. A efetivação jurídico-política do direito à saúde no Supremo Tribunal Federal: a referência paradigmática da sl 47-agr/pe. Revista de Direito Sanitário. 2017, nov. / fev.; 17(3): 58-76.

Mazza FF, Mendes AN. Decisões judiciais e orçamento: um olhar sobre a saúde públi-ca. Revista de Direito Sanitário. 2014, nov. 2013/ fev. 2014; 14(3): 42-65.

Arruda SC. Análise sobre a judicialização da saúde no estado de Mato Grosso no perí-odo de 2011-2012. Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitário. 2017, jan./mar; 6(1): 86-111.

Asensi F, Pinheiro R. Judicialização da saúde e Diálogo Institucional: A experiência de Lages (SC). Revista de Direito Sanitário. 2016, jul./out.; 17(2): 48-65.

Barreto JL, Pereira MT, Guimarães MCJ, Penaforte TR, Formigli VLA. Perfil das de-mandas judiciais por medicamentos em municípios do estado da Bahia. Revista Baiana de Saúde Pública. 2013, jul./set.;37(3): 536-552.

Massáu GC, Bainy AK. O impacto da judicialização da saúde na comarca de Pelotas. Revista de Direito Sanitário. 2014, jul./out.; 15(2): 46-65.

Nogueira JL, Carvalho L, Dadalto L. Parcerias entre Universidades e Poder Judiciário: experiência de Minas Gerais. Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitário. 2017, jan. / mar.; 6(1): 55-71.

Zago B, Swiech LM, Bonamigo EL, Schlemper Junior BR. Aspectos bioéticos da judici-alização da saúde por medicamentos em 13 municípios no Meio-Oeste de Santa Catarina, Brasil. Acta Bioethica. 2016, 22(2): 293-302.

Conselho Nacional de Justiça. Justiça pesquisa: Judicialização da saúde no Brasil. Brasília; 2015. 142p.

Thiry-Cherques HR. Max Weber: o processo de racionalização e o desencantamento do trabalho nas organizações contemporâneas. Rev. Adm. Pública. 2009, ago.; 43(4): 897-918.

Duarte CS, Braga PVB. A Utilização dos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas e a Racionalização da Judicialização do Direito à Saúde. Revista de Direito Sanitário. 2015, mar./jun. 18(1): 171-190.

Mapelli R. Judicialização da saúde e políticas públicas: assistência farmacêutica, inte-gralidade e regime jurídico-constitucional do SUS [Tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2015.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008, 17(4): 758-764.

Oliveira J. Efetividade do direito à saúde: uma análise sob um contexto de crise finan-ceira e constitucional [Dissertação]. Chapecó: Campus de Chapecó, Universidade do Oes-te de Santa Catarina; 2016.

Machado TRC. Judicialização da saúde e contribuições da Teoria de Justiça de Nor-man Daniels. Revista de Direito Sanitário. 2015, jul./out.; 16(2): 52-76.

Delduque MC, Castro EV. A mediação sanitária como alternativa viável à judicialização das políticas de saúde no Brasil. Saúde em Debate. 2015, fev./jun.; 39: 506-513.

D’espíndula TCAS. Judicialização da medicina no acesso a medicamentos: reflexões bioéticas. Revista Bioética (Impressa). 2013; 21(3): 438-447.

Gontijo GDA. Judicialização do direito à saúde. Revista Médica de Minas Gerais. 2010, 20(4): 606-611.

Machado TRC. Judicialização da saúde: analisando a audiência pública no Supremo Tribunal Federal. Revista Bioética. 2014, set./dez.; 22(3): 561-568.

Magalhães ASF. Atuação do Poder Judiciário do Distrito Federal no fornecimento de medicamentos não padronizados no SUS. Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitá-rio. 2015, jul./set.; 4(3): 3-24.

Marçal KKS. A Judicialização da Assistência Farmacêutica: o caso Pernambuco em 2009 e 2010 [Tese]. Recife: Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães; 2012.

Nepomuceno MAS, Bellato R, Araújo LFS, Mufato LF. O campo jurídico na garantia do direito à saúde. Revista de Direito Sanitário. 2013, jul./out.; 14(2): 119-136.

Neto OB. A jurisprudência dos tribunais superiores e o direito à saúde: evolução rumo à racionalidade. Revista de Direito Sanitário. 2015, mar./jun.; 16(1): 87-111.

Oliveira LM, Andrade EIG, Milagres M. Ministério Público e políticas de saúde: implica-ções de sua atuação resolutiva e demandista. Revista de Direito Sanitário. 2015, nov. 2014/ fev. 2015; 15(3): 142-161.

Oliveira JAD. Demandas jurídicas por coberturas assistenciais: estudo de caso: CASSI [Tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2010.

Pepe VLE, Figueiredo TA, Simas L, Osorio-de-Castro CGS, Ventura M. A judicialização da saúde e os novos desafios da gestão da assistência farmacêutica. Ciência & Saúde Coletiva. 2010, ago.; 15(5): 2405-2414

Pinheiro LKT, Melo PF. O impacto financeiro da judicialização da saúde demonstrado através de um modelo econômico teórico. In: Anais do XI Encontro São Paulo, 2014. São Paulo.

Pinto CDBS. Demandas judiciais por medicamentos e estratégias de gestão da assis-tência farmacêutica em municípios do Estado de Mato Grosso do Sul [Tese]. Rio de Janei-ro: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca; 2013.

Santos AO, Delduque MC, Mendonça AVM. Os discursos na Audiência Pública da Saúde e seu impacto nas decisões do Supremo Tribunal Federal: uma análise à luz da teoria dos sistemas sociais. Saúde e Sociedade. 2015, 24 Supl 1: 184-192.

Silva Junior GB, Dias ER. Avaliação da satisfação dos usuários de um serviço de saú-de público-privado no nordeste do Brasil e a judicialização da saúde. Revista de Direito Sanitário. 2016, jul./out.; 17(2): 13-29.

Soares JCRS, Deprá AS. Ligações perigosas: indústria farmacêutica, associações de pacientes e as batalhas judiciais por acesso a medicamentos. Physis: Revista de Saúde Coletiva. 2012, 22(1): 311-329.

Travassos DV, Ferreira RC, Vargas AMD, Moura RNV, Conceição EMA, Marques DF, Ferreira EF. Judicialização da Saúde: um estudo de caso de três tribunais brasileiros. Ci-ência & Saúde Coletiva. 2013, nov.; 18(11): 3419-3429.

Verbicaro LP, Santos ACV. A necessidade de parâmetros para a efetivação do direito à saúde: a judicialização do acesso ao hormônio do crescimento no estado do Pará. Revista de Direito Sanitário. 2017, mar.; 17(3): 185-211.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2019-05-08

Como Citar

1.
Dal Moro CC, Fonseca LDM, Randow R, Zocratto KBF. Judicialização da saúde: propostas de racionalização. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 8º de maio de 2019 [citado 22º de abril de 2021];8(1):119-40. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/505

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)