Judicialização da política de assistência farmacêutica: discussão sobre as causas de pedir no Distrito Federal

Autores

  • Simone Honorato Departamento de Saúde Coletiva, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, Brasil Autor

DOI:

https://doi.org/10.17566/ciads.v4i3.208

Palavras-chave:

Política Nacional de Assistência Farmacêutica, Judicialização da Assistência Farmacêutica, Decisões Judiciais, Sistema Único de Saúde

Resumo

O direito à saúde, garantido constitucionalmente, abriu a possibilidade de sua tutela judicial pelo cidadão, fazendo crescer o número de ações judiciais e gerando o fenômeno da judicialização da saúde. A pesquisa discutiu as causas de pedir verificadas nos acórdãos do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), relativos às ações impetradas contra a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) para o fornecimento de medicamentos, e identificou os medicamentos pleiteados, bem como suas classes terapêuticas. Tratou-se de estudo transversal e retrospectivo de abordagem quali-quantitativa abrangendo os anos de 2010 a 2012. A amostra selecionada foi de 359 acórdãos. Foi verificado que 37,0 % das ações demandavam medicamentos não elencados em listas oficiais; 24,2 % motivaram-se pela falta do medicamento na SES/DF e 13,4% por interrupção no fornecimento. As classes terapêuticas mais demandadas foram: 22,8% de antineoplásicos e imunomoduladores; 22,7% para o sistema nervoso e 12% de cardiovasculares. Apesar dos esforços do Estado previstos nas políticas públicas, verificou-se que atos administrativos dos gestores do SUS impactaram diretamente na judicialização da assistência farmacêutica, resultando nas demandas judiciais por medicamento contra a SES/DF.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

30-09-2015

Edição

Seção

ARTIGOS

Como Citar

1.
Judicialização da política de assistência farmacêutica: discussão sobre as causas de pedir no Distrito Federal. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 30º de setembro de 2015 [citado 21º de junho de 2024];4(3):116-27. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/208