Diga não a patologização! O direito à identidade de gênero e a necessidade de despatologizar a transexualidade

Autores

  • Kaoanne Wolf Krawczak Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul Autor
  • Juliana Oliveira Santos Autor

Palavras-chave:

Direitos Humanos, Despatologização, Identidade de Gênero, Transexualidade

Resumo

O presente artigo através de uma revisão bibliográfica discorre acerca do direito à identidade de gênero e a despatologização da transexualidade, tendo em vista que a consciência de pertencer ao gênero masculino ou feminino é adquirida pelo comportamento e pelas atitudes dos pais, dos familiares e do meio social a que se pertence, além da percepção e interiorização do meio social a que se pertence. Contudo o processo de seguir os padrões do masculino ou do feminino, e ainda, o padrão heteronormativo nem sempre funcionam. Assim, este artigo tem como escopo, além de demonstrar as questões históricas acerca da patologização da transexualidade e seus entornos, grifar de que forma atualmente a questão está sendo trabalhada junto à sociedade pós-moderna em que vivemos

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Kaoanne Wolf Krawczak, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

    Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, RS, Brasil. E-mail: kaoanne.krawczak@gmail.com 

Downloads

Publicado

29-12-2017

Edição

Seção

ANAIS

Como Citar

1.
Diga não a patologização! O direito à identidade de gênero e a necessidade de despatologizar a transexualidade. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 29º de dezembro de 2017 [citado 21º de maio de 2024];6:460-7. Disponível em: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/1104